OFICINAS DE CRIAÇÂO ARTÍSTICA COM A NATUREZA

Oficina de Papel com Plantas

Como podemos nós fazer papel a partir de plantas fibrosas?
Colhemos as plantas reunindo o elemento terra. Cozêmo-las fundindo os elementos água e fogo. Deixamo-las secar envolvidas pelo ar. E teremos um papel natural e orgânico feito de quatro elementos. Ainda podemos usar pétalas de flores, líquenes ou folhas para ornamentar este papel completamente são.



Festa da Educação- Feira do Papel e do Livro, Lousã, 10 de Maio de 2009

Oficina de Teares

Tecer a Serra
A arte de tecer acompanha o homem desde a idade primitiva, tem pelo menos 5000 anos de idade e existe em todas as partes do mundo.
Como podemos nós tecer a serra com a sua vegetação espontânea, tirando partido das suas formas, texturas, cores e cheiros?
Com materias naturais colhidos na natureza serrana, pretende-se tecer pequenas peças. Teares onde se desenhem as memórias de um caminho pela Serra da Lousã.

Nota: Esta oficina pode ser adaptada consoante o sitio em que é feito, tanto podemos tecer a serra, como a planície as dunas ou o pequeno monte.


Tear com livro da oficina
ARTESANATO

senhor cortiça

senhor cortiça

NATUREZA AO PEITO

A natureza é muito generosa, deixa cair umas bagas por aqui, uns ramos deslumbrados pela presença dos líquenes por ali, e acolá, os nossos passeios de olhar atento recolhem toda esta matéria deixada em terra. E lá vamos nós, de natureza ao peito enchendo os nossos cestos de sonhos, que virão a concretizar-se neste conjunto de pregadeiras. Pequenos objectos enriquecidos pela beleza natural de pedaços da terra, que constantemente pisamos e pontapeamos sem que lhe demos a devida importância.

Natureza ao Peito 1

Natureza ao Peito 1

Natureza ao Peito 2

Natureza ao Peito 2

Natureza ao Peito 3

Natureza ao Peito 3

Natureza ao Peito 4

Natureza ao Peito 4

Natureza ao Peito 5

Natureza ao Peito 5

Natureza ao Peito 6

Natureza ao Peito 6

Natureza ao Peito 7

Natureza ao Peito 7

Natureza ao Peito 8

Natureza ao Peito 8

Natureza ao Peito 9

Natureza ao Peito 9

Natureza ao Peito 10

Natureza ao Peito 10

Natureza ao Peito 11

Natureza ao Peito 11

Natureza ao Peito 12

Natureza ao Peito 12

Natureza ao Peito 13

Natureza ao Peito 13

Natureza ao Peito 14

Natureza ao Peito 14

Natureza ao Peito 15

Natureza ao Peito 15

Natureza ao Peito 16

Natureza ao Peito 16

Natureza ao Peito 17

Natureza ao Peito 17

Natureza ao Peito 18

Natureza ao Peito 18

Natureza ao Peito 19

Natureza ao Peito 19

Natureza ao Peito 20

Natureza ao Peito 20

Natureza ao Peito 21

Natureza ao Peito 21

Natureza ao Peito 22

Natureza ao Peito 22

Natureza ao Peito 23

Natureza ao Peito 23

Natureza ao Peito 24

Natureza ao Peito 24

Natureza ao Peito 25

Natureza ao Peito 25

Natureza ao Peito 26

Natureza ao Peito 26

Natureza ao Peito 27

Natureza ao Peito 27

Natureza ao Peito 28

Natureza ao Peito 28

Natureza ao Peito 29

Natureza ao Peito 29

Natureza ao Peito 30

Natureza ao Peito 30

Natureza ao Peito 31

Natureza ao Peito 31

Natureza ao Peito 32

Natureza ao Peito 32

CADERNOS COM FIBRAS DE TERRA E CORDAS DO MAR

Existe hoje seis vezes mais partículas de plástico em certas regiões dos oceanos, do que plâncton, os cientistas chamam-lhe "sopa do lixo". Esta sopa causa a morte de mais de um milhão de aves marinhas e de cem mil mamíferos por ano.
Para além de caminharmos por bosques e florestas fomos também às praias apanhar algumas cordas deixadas em terra pelo mar. E fizemos caderninhos, cadernos e cadernões para escrivinhar, desenhar ou apontar todas as inpirações que acontecem num momento. Estes foram tecidos com fibras vegetais em estado puro e cordas que fugiram da "sopa de lixo" conseguindo chegar a terra na esperança que alguém os pudesse reutilizar.

caderninho 1/1

caderninho 1/1

caderninho 1/2

caderninho 1/2

caderninho 1/3

caderninho 1/3

caderninho 2/1

caderninho 2/1

caderninho 2/2

caderninho 2/2

caderninho 3/1

caderninho 3/1

caderninho 3/2

caderninho 3/2

caderninho 3/3

caderninho 3/3

caderninho 3/4

caderninho 3/4

caderno 1/1

caderno 1/1

caderno 1/2

caderno 1/2

caderno 1/3

caderno 1/3

caderno 1/4

caderno 1/4

caderno 1/5

caderno 1/5

Caderno 2/1

Caderno 2/1

caderno 2/2

caderno 2/2

caderno 2/3

caderno 2/3

caderno 2/4

caderno 2/4

caderno 3/1

caderno 3/1

caderno 3/2

caderno 3/2

caderno 3/3

caderno 3/3

cadernão 1/1

cadernão 1/1

cadernão1/2

cadernão1/2

cadernão 1/3

cadernão 1/3

cadernão 2/1

cadernão 2/1

cadernão 2/2

cadernão 2/2

cadernão 3/1

cadernão 3/1

cadernão 3/2

cadernão 3/2

cadernão 3/3

cadernão 3/3

cadernão 3/4

cadernão 3/4
PAPEL DE PLANTAS
O papel é uma das formas mais antigas e importantes para partilhar conhecimento.
Fizemos este papel deixando a marca das nossas mãos, protegemos a sua irregularidade e textura próprias da sua natureza. Sim, natureza! Pois, para além deste papel ser feito de uma forma inteiramente artesanal e sem quaisquer químicos, deixa adivinhar a planta que utilizámos, a Agave. Esta planta é um cacto verde utilizado para inúmeros fins, como para impremiabilizar as casas de barro em África, para fazer o sisal ou mesmo para curar certos males como queda de cabelo, diarreias ou a expecturação. Experimentem descascá-la, cortá-la em pedaços, cozê-la e deitar-lhe uma deliciosa calda de açucar e canela e está pronta a comer.

senhora e senhor

senhora e senhor

marcadores de livros

marcadores de livros

marcador de livros com malmequer bravo

marcador de livros com malmequer bravo

marcador de livros com papoila

marcador de livros com papoila

postal

postal

postal

postal

caderno com menino

caderno com menino

pormenor do caderno com menino

pormenor do caderno com menino

os cadernos

os cadernos

Contactos

Rita Manuel e Luis Simões 966142994 966164190 Congerminar@gmail.com

Seguidores

Não existem mensagens.
Não existem mensagens.